//Sobe para 13 o número de casos confirmados de coronavírus no Brasil

O Ministério da Saúde divulgou, nesta sexta-feira (6), que o Brasil tem 13 casos confirmados do novo coronavírus. De acordo com a plataforma da pasta, há 10 casos da doença em São Paulo, um no Rio de Janeiro, um no Espírito Santo e um na Bahia. O número de casos suspeitos do Covid-19 saltou para 768.

Ainda nesta sexta, a pasta havia confirmou nove casos da doença, com a inclusão de uma nova paciente, uma mulher de 34 anos, que mora em Feira de Santana, na Bahia, e voltou da Itália no último dia 25 de fevereiro. Ela esteve em Milão e em Roma. Dos novos casos confirmados, todos possuem histórico de viagem ao Reino Unido, Estados Unidos e Itália.

Entre os casos suspeitos da doença, o Estado de São Paulo concentra o maior número – 222 casos em análise. Minas Gerais tem 123 casos suspeitos, seguido do Rio Grande do Sul, com 112, e Rio de Janeiro com 111 suspeitas. O primeiro caso de coronavírus confirmado aconteceu na cidade de São Paulo – trata-se de um homem de 61 anos com histórico de viagem à Itália, que está em isolamento domiciliar desde a confirmação da doença.

O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que o status da doença no Brasil foi elevado nesta sexta. “Elevamos o status, agora estamos monitorando as unidades de saúde com casos confirmados. Pedimos para que eles dupliquem, tripliquem a vigilância e monitorem os contactantes dos casos confirmados”, disse.

Entre os 13 casos do novo coronavírus, dois foram identificados como transmissão local, de acordo com o Ministério da Saúde, e tiveram contato com o primeiro caso confirmado em São Paulo. Durante coletiva de imprensa nesta quinta, o secretário Secretário de Vigilância em Saúde Wanderson de Oliveira informou que não há transmissão comunitária.

“Até este momento, não temos transmissão comunitária em nosso território, apenas transmissão local porque se consegue identificar que essas duas pessoas pegaram de um caso confirmado. Quando não é possível identificar essas relações, passa a ser transmissão comunitária”, explicou.