//Ex-candidato a vice prefeito de Macabu morre ao passar mal nas Barcas, em Niterói
Foto: Jornal O São Gonçalo

O ex-candidato a vice prefeito de Conceição de Macabu, Jorge Mérida, de 60 anos, morreu na manhã desta quinta-feira (17) após passa mal na Estação Araribóia, nas Barcas, em Niterói. De acordo com testemunhas, o caso aconteceu por volta das 10h50. A informação foi confirmada ao portal pelos familiares.

De acordo com testemunhas, Mérida chegou a cair e bater com a cabeça no chão. O socorro foi feito pelo Corpo de Bombeiros e por uma ambulância do SAMU. Ele chegou a receber os primeiros socorros, com uma massagem cardíaca, mas não resistiu e acabou indo a óbito.

Resultado de imagem para jorge merida

O velório está acontecendo nesta sexta-feira (18), em Conceição de Macabu, onde morava. O corpo é velado na Igreja Adventista do Sétimo Dia, no Centro da Cidade. O sepultamento está marcado para às 16h30 no Cemitério Municipal.

Trajetória na política Macabuense

Em 2016, Mérida decidiu iniciar os passos na política. Foi candidato à vice-prefeito ao lado de Kódia Ramalho, pelo PSB – Partido Socialista Brasileiro. Por alguns meses fizeram campanhas juntos, mas não alcançaram votos suficientes nas urnas, e por conta disso, acabaram não se elegendo.

Ao Portal, Kódia falou sobre a relação de amizade. “Foi um amigo fiel, parceiro. Fizemos faculdade de direito juntos em Silva Jardim. Lá me aproximei muito dele. Fizemos uma amizade muito sincera, fiel e parceira. Um companheiro de luta, de batalhas. Tinha um sonho de transformar Conceição de Macabu para os nossos filhos e netos. Espero que o legado de Jorge possa deixar em nossos corações muita esperança e fé para que esse futuro possa acontecer, comentou. Ele ainda enviou sentimento aos familiares de Mérida. “Que Deus possa lhes dar força neste momento”, finalizou.

DEMORA NO SOCORRO

O amigo de Mérida, Junior Luna, que também estava no local, alegou demora no atendimento de emergência. “O que nós ficamos bem chateados foi levar 20 minutos para o socorro de dentro das barcas. Existe uma lei que ordena a necessidade de dois desfibriladores no local e que 50% da equipe saiba dar os primeiros socorros, e nada disso aconteceu”, contou ao jornal O Fluminense.

Procurada, a CCR Barcas informou que “as equipes operacionais (tripulações e colaboradores de estação) são treinadas para prestar os primeiros socorros a passageiros que eventualmente passem mal, sendo o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) acionado, quando necessário”

A concessionária ressaltou ainda que o contrato de concessão não prevê que a empresa tenha profissionais de saúde dedicados à operação, e que, conforme as Normas da Autoridade Marítima para Embarcações Empregadas na Navegação Interior (Normam 02\DPC), o embarque de profissionais da área de Saúde deve ocorrer em embarcações que executam navegações de longo curso (superiores a 12 horas).