//Trabalhadores offshore com supostos sintomas de coronavírus desembarcam em Campos

Pelo menos 10 trabalhadores offshore teriam desembarcado no Aeroporto Bartolomeu Lisandro, em Campos, após apresentarem sintomas semelhantes aos do novo coronavírus. O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) tomou conhecimento do fato nesta terça-feira (24) e está acompanhando a situação.

De acordo com Tezeu Bezerra, coordenador do Sindipetro-NF, os trabalhadores atuavam em uma plataforma da Bacia de Campos.

“Não há médicos acompanhando os trabalhadores, que não foram submetidos a testes para detectar o novo coronavírus e sequer entraram no radar da Prefeitura”, revelou Bezerra, que afirmou que a entidade vai comunicar o Município da situação por meio de ofício.

Ainda segundo o coordenador do Sindipetro-NF, os trabalhadores foram trazidos em pelo menos um voo e levados de ônibus para uma pousada em Campos. “Uma parte deles ainda está lá, sem qualquer tipo de controle sanitário. Isso coloca em risco os demais hóspedes e a sociedade como um todo”, disse.

A orientação do Ministério da Saúde é de que pessoas que não apresentem sintomas graves permaneçam em isolamento domiciliar e só busquem atendimento médico em caso de problemas respiratórios e febre alta.

Respostas

Questionado, o Aeroporto Bartolomeu Lisandro não confirmou e nem negou o desembarque de trabalhadores com suspeita de contaminação pelo novo coronavírus. Em nota emitida por sua assessoria de imprensa, afirmou que mantém um “rígido e inflexível protocolo de segurança sanitária” e colocou em prática um Plano de Contingência, “que prevê desembarque diferenciado para passageiros com suspeita da Covid-19”.

Entre as medidas, estariam a “disponibilização de salas preparadas para isolamento; orientação aos funcionários para lidar com a situação; utilização de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) adequados e medição de temperatura corpórea para todos os funcionários e passageiros antes do acesso às instalações aeroportuárias”.

Da mesma maneira, a Petrobras não comentou o desembarque em Campos, mas garantiu tomar “uma série de medidas preventivas para evitar o contágio por Covid-19 em suas plataformas”. A estatal disse que “colaboradores a bordo que apresentem qualquer sintoma relacionado ao coronavírus são imediatamente desembarcados e seus estados de saúde são acompanhados em terra. Nos casos em que o colaborador não é residente na região de desembarque, ele é monitorado em hotel até ser providenciado transporte para que siga o isolamento em sua residência, caso apresente sintomas leves. Também é realizado o monitoramento de pessoas que tiveram contato próximo com eles”.