//Trabalhadores do Porto do Açu protestam contra demissão em massa

Prestadores de serviço de duas empresas que atuam no Porto do Açu, em São João da Barra, começaram uma manifestação, na manhã desta quarta-feira (6). De acordo com a Polícia Militar, o movimento teve início por volta das 7h e os trabalhadores das empresas Andrades Gutierrez Engenharia e Acciona bloquearam vias de acesso ao empreendimento, no 5º distrito sanjoanense (Açu).

Com o bloqueio das estradas que dão acessos às portarias 1 e 2 do Porto do Açu, os ônibus que levavam os prestadores de serviço para o empreendimento tiveram dificuldade para entrar e acabaram formando filas na estrada. Para quem deixava o turno de serviço também foi difícil sair.

A manifestação teria sido motivada por queixas dos trabalhadores em relação à falta de cumprimento de acordos sobre plano de saúde e melhoria no vale-alimentação.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Indústria da Construção Civil e Mobiliário de Campos (Sticoncimo), José Eulálio, explicou que a entidade também representa os trabalhadores que atuam no Porto. Segundo Eulálio, a manifestação seria ilegítima e realizada por um sindicato de Itaboraí. “Acionamos a Justiça do Trabalho para que a manifestação seja suspensa imediatamente e para que o sindicato que a realizou esclareça os motivos”, destacou o presidente do Sticoncimo. “Para que um movimento como este seja legítimo, é necessário cumprir alguns requisitos, como comunicar à Polícia Militar e ao Ministério do Trabalho com, no mínimo, 24 horas de antecedência”, esclareceu.

Empresas se posicionam sobre o assunto:

A Andrade Gutierrez e a Acciona informam que trabalharão para que as atividades sejam retomadas o mais breve possível. Esclarecemos que seguimos rigorosamente a legislação trabalhista (CLT) e a CCT – Convenção Coletiva de Trabalho, firmada junto ao sindicato da categoria que legalmente representa os trabalhadores na região. As empresas reforçam seu compromisso com os colaboradores e comunidades.