//Live com representantes sociais vai discutir economia solidária pós pandemia

A pandemia acelerou mudanças que já eram previstas, como o home-office, a busca pela sustentabilidade, a educação a distância e a virtualização dos eventos realizados antes presencialmente. Em um curto espaço de tempo, diversos segmentos da atividade econômica tiveram que parar para evitar a propagação do Covid19 e se reinventar, dar a volta por cima, transformando a rotina de milhares de brasileiros.

A economia solidária faz parte dessa transformação social e também será tema da próxima live, promovida pelo Mundo de Vantagens e GRC Ambiental, como apoio de iniciativas sociais realizadas no município de Macaé.

O evento virtual vai acontecer na próxima quarta-feira, 27, às 18h, através do canal do Portal Local, no Youtube. Na oportunidade, o tema será discutido por pessoas que estão na linha de frente desse processo social, como: Adriano Soares, advogado e síndico do condomínio Spazio Mistral; Guilherme Mendonça, gestor do Condomínio Quintas da Glória; Sérgio Murilo, representante da iniciativa Ação entre Amigos, que visa saciar a fome de pessoas carentes, com quentinhas produzidas pelo grupo; Takashi Yamauchi, assessor apto do centro de estudo e difusão do terceiro setor; e Thales Andrade, advogado e consultor ambiental, CEO da GRC  Ambiental.

“A economia solidária está transformando o modo como as empresas pensam seus produtos, serviços, processos e, principalmente, seu posicionamento diante da sociedade em transformação. Ao contrário do que o nome pode sugerir, ela vai muito além de doações ou gestos de caridade, e envolve as atividades econômicas com foco no desenvolvimento social”, explica Thales Andrade, acrescentando que economia solidária é uma forma de economia colaborativa ao invés de competitiva.

Ainda segundo Thales, um fator importante da economia solidária é agir pensando no bem-estar das pessoas que fazem parte do processo de produção e consumo daquele produto ou serviço, extraindo o máximo potencial humano para o desenvolvimento da sociedade. Com isso, é possível pensar em diferentes modelos de negócios que tenham como princípio a economia solidária.

“Com o avanço da tecnologia, diversas ideias inovadoras poderão sair do papel. Além disso, a nova geração de colaboradores está constantemente pensando formas de criar soluções baseadas na economia solidária para auxiliar no desenvolvimento de modelos econômicos sustentáveis, como é o nosso caso do Mundo de Vantagens. Trata-se de um clube de descontos que oferece produtos, serviços, pontuação ou descontos para clientes dentro de uma plataforma como uma estratégia de marketing para ­fidelizar o público de uma empresa, com o propósito de transformação social”, exemplificou Thales Andrade.

Nos últimos anos, a economia solidária vem ganhando espaço no mercado por ir ao encontro com propostas de geração de trabalho e renda focadas no desenvolvimento da sociedade como um todo, compreendendo o impacto das ações humanas na sociedade e no meio ambiente e se adaptando para reduzi-lo.

“A participação da sociedade e das instituições representativas de empresas e organizações sociais é fundamental para a construção de um mecanismo para desenvolvimento econômico e social equilibrado”, disse o Takashi Yamauchi.