//Detento de Campos morre com Covid-19

Um detento do presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, morreu nessa quinta-feira (2), após testar positivo para Covid-19. De acordo com a secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), quatro internos do presídio foram encaminhados para o Hospital Ferreira Machado, dos quais três realizaram exames de coronavírus e um deles testou positivo para a doença. A Seap informou, ainda, que, nas unidades do Norte e Noroeste, este foi o primeiro caso confirmado de Covid-19.

Segundo a secretaria, como medida de prevenção, os internos que tiveram contato com o detento que teve Covid-19 foram isolados. “É importante citar que a superintendência de Saúde da Seap já entrou em contato com a secretaria municipal de Saúde para notificação e acompanhamento do caso”.

A Seap destacou, ainda, que, até o momento, 112 internos testaram positivo para a Covid-19 no sistema prisional fluminense. Ao todo, houve 13 óbitos, sendo 11 ocorridos no Pronto Socorro Geral Doutor Hamilton Agostinho; um no Hospital Pedro II; e um no Hospital Ferreira Machado.
“A Seap lamenta as mortes dos internos e esclarece que a equipe da Coordenação de Saúde, subordinada à subsecretaria de Tratamento Penitenciário, está monitorando a saúde dos internos. Destacamos, ainda, outras ações de prevenção e combate ao à Covid-19 que estão ocorrendo, desde o dia 13 de março, em todas as unidades prisionais:Conforme decreto, publicado em Diário Oficial, pelo governador Wilson Witzel, as visitas permanecem suspensas nas unidades prisionais;

Todos os presos, que estão ingressando no sistema, ficam em isolamento social durante 14 dias, acompanhados pela equipe de saúde desta Secretaria. Após esse período, não apresentando qualquer sintoma respiratório e/ou febre, os mesmo são inseridos no coletivo da unidade;

Realização de testes rápidos para o diagnóstico da Covid-19 em mais de 1.500 servidores;

Já foram distribuídas, entre as unidades prisionais, mais de 280.000 máscaras descartáveis e reutilizáveis e 137.000 luvas cirúrgicas, além de cerca de 1.700 litros de álcool em gel e líquido aos servidores. As unidades prisionais também receberam 110 Face Shields, além de 515 óculos de segurança e água sanitária para a intensificação da limpeza;

Foram distribuídos termômetros infravermelho nas unidades prisionais para a aferição da temperatura dos servidores ao chegarem para trabalhar;

Também foi instalada um número maior de pias nas unidades e fornecidos sabão e toalha de papel, para a facilitação e intensificação da lavagem das mãos, com orientação da área técnica da Seap”.

Fonte: Folha 1