//MP e Polícia Civil deflagram operação contra furto de petróleo em Quissamã, Carapebus e Macaé

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), por meio do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (GAECO/MPRJ), e a Polícia Civil, através da Delegacia de Defesa de Serviços Delegados (DDSD), com o apoio da Petrobras, da Agência Nacional do Petróleo (ANP), da Secretaria de Fazenda do Estado do Rio de Janeiro (SEFAZ), da Corregedoria da Polícia Militar e da Coordenadoria de Segurança e Inteligência (CSI/MPRJ), realizam, nesta terça-feira (05/11), a Operação Sete Capitães, para cumprimento de 7 mandados de prisão e 12 mandados de busca e apreensão após investigação que apurou a prática de crimes de organização criminosa, corrupção passiva, corrupção ativa e furto qualificado.

Em inquérito policial conduzido pela DDSD e com auxílio do GAECO/MPRJ foi desarticulada a organização criminosa que atuava praticando furtos de petróleo e seus derivados nos Municípios de Carapebus, Quissamã e Macaé.
A partir da quebra de sigilo bancário e de interceptações telefônicas autorizadas pela Justiça, foi possível identificar oito criminosos, dentre eles um policial militar lotado no 32º BPM (Macaé) e dois vigilantes da empresa contratada pela Transpetro para realizar a segurança patrimonial de dutos da Petrobras na região, os quais garantiam que os comparsas praticassem os crimes de furto sem serem incomodados.

Além da atuação no Rio, apurou-se que um dos locais de destino do petróleo furtado é uma empresa situada no Município de Rolândia, no Paraná, a qual também é alvo de busca e apreensão na operação de hoje. O Gaeco do MP do Paraná também prestará apoio à operação.
Os mandados foram expedidos pelo Juízo Vara Única do Juízo de Carapebus e Quissamã, além da Auditoria Militar.