//Sem dormir e preocupados, pais de alunos do Pau Brasil sofrem à espera dos filhos

Após 16h de espera, os alunos da Escola Municipal Pau Brasil, de Conceição de Macabu, já estão retornando à cidade após um passeio frustado. Mais de 40 estudantes voltavam para casa nesta quarta-feira (25), após um passeio por dois museus, quando o ônibus da empresa M.L dos Santos, contratada pela prefeitura, apresentou defeito e parou no caminho. De acordo com os responsáveis, o incidente ocorreu por volta das 18h, mas eles só foram comunicados horas depois através de mensagem de texto.

O CASO

A viagem, que seria um momento de descontração e conhecimento, começou a ganhar novos rumos e virou um grande pesadelo na vida dos estudantes. “Minha filha estava ansiosa, não dormia, só pensava neste dia”, lamentou uma mãe indignada. Os momentos de agonia contaram com a promessa de que um novo ônibus fosse enviado, mas o veículo não chegou na noite esperada.

Às 2h da manhã, cinco horas depois, funcionários da escola saíram em busca de hotéis e pousadas, mas os estabelecimentos solicitavam pagamento antecipado, o que não era possível. Sem alternativas, alunos foram obrigados a dormirem dentro do próprio ônibus enquanto nenhuma solução era encontrada. Só às 04:10 da manhã, dez horas depois, os estudantes foram levados para uma pousada. Após dormirem o pouco que ainda restava da noite, que ficará gravada por muito tempo na memória, os alunos já estão à caminho de Macabu em um ônibus substituto. Pasmem! 16 horas depois do incidente.

Pais contaram ao portal que todas as informações só foram passadas através de grupos no WhatsApp. Nenhuma reunião para discutir a situação sequer foi convocada pela Secretaria Municipal de Educação. “Infelizmente o que era para ser um sonho encarado se tornou um pesadelo. Não só pra eles como também para a gente. Estou a base de remédios. Como uma mãe consegue dormir?. Minha filha estava contando os dias para esse passeio”, comentou uma mãe. A outra prometeu abrir um processo contra à prefeitura. 

Nesta manhã, antes de retornarem à estrada, os alunos ainda tiveram que aguardar a empresa do ônibus realizar o pagamento das diárias. Somente após isso eles foram liberados a deixar a pousada onde esperaram o amanhecer do dia. Enquanto isso, pais aguardavam incansavelmente por notícias. “Nunca dormi longe deles, nunca dormiram fora de casa. Estou com uma angústia, uma saudade imensa”, contou Juliana Rodrigues, que tem dois filhos no passeio. Em lágrimas, ela comentou o ocorrido. “Já não aguento mais essa angústia. Desde ontem as crianças estão longe de mim”, disse.

Em nota, a prefeitura sequer se solidarizou com os responsáveis pelos alunos. Disseram apenas que “ficaram confortavelmente acomodados, tomaram café da manhã, sempre acompanhados pela equipe da escola e alguns pais presentes”. Uma reunião deve ocorrer nesta tarde após a chegada dos estudantes.