• Seja Bem Vindo!
  • 20 de Novembro de 2017
Após ser preso pela PF, Garotinho passa mal e é levado para hospital
Publicado em: 16/11/2016 Às 17:42 - Atualizada em 16/11/2016 Às 18:24
Por Portal Jornada Da Redação, em Macambu

(Portal Jornada / Reprodução)

Preso nesta quarta-feira (16) por suspeita de envolvimento com um esquema de compra de votos, o ex-governador do Rio, Anthony Garotinho, aguardava transferência para o hospital Souza Aguiar, no Centro, no fim da tarde desta quarta-feira. Segundo seus advogados, ele sofre de pressão alta e passou mal antes de ser transferido para Campos, no Norte Fluminense.

Por volta das 18h15, ele foi retirado da Superintendência da PF, no Centro do Rio, em uma ambulância.Os advogados afirmam ainda que ele corre risco de sofrer um AVC. Após

LEIA MAIS SOBRE A PRISÃO DE GAROTINHO
Garotinho é preso pela PF, no Rio 
Garotinho passa mal e é levado para hospital

passar por exames no IML, o secretário de Governo de Campos seria levado pela Polícia Federal de avião para a Campos, mas ele ficará preso no presídio Frederico Marques, que fica dentro do Complexo Penitenciário de Bangu, no Rio.

A defesa do ex-governador pediu nesta quarta novamente a liberação do cliente em relação ao crime de corrupção eleitoral. Os advogados já tinha requerido a medida preventivamente, antes do secretário de governo da Prefeitura de Campos dos Goytacazes ser preso nesta quarta-feira (16).

O HC já tinha sido solicitado na última quarta-feira (9), mas foi negado pela Justiça Eleitoral de Campos dois dias depois. A solicitação desta quarta-feira (16), dia em que o ex-governador do Rio foi preso, ainda não foi analisada segundo informações do Tribunal Regional Eleitoral.

A prisão

Garotinho foi preso por volta das 10h30 desta quarta-feira (16), no Flamengo, Zona Sul do Rio, por agentes da Polícia Federal. Ele é um dos investigados na Operação Chequinho, que apura o uso do programa social Cheque Cidadão para compra de votos na cidade em 2016.

O ex-governador foi preso preventimente, o que significa que não há prazo para libertação. A PF cumpre ainda oito mandados de prisão temporária (com prazo de cinco dias), outros oito de busca e apreensão e um de condução coercitiva – quando a pessoa é levada a depor e depois liberada. Os mandados foram expedidos pelo juiz Glaucenir Silva de Oliveira, da 100º Zona Eleitoral de Campos.

Segundo a PF, o ex-governador do Rio de Janeiro foi preso em seu apartamento na Senador Vergueiro, de onde teria saído sem algemas, e levado para a sede da PF na Zona Portuária.

Fonte: G1

  • Link Encurtado P/ Matéria:
Comentários
Os comentários aqui publicados são de responsabilidade dos usuários e não representam a opinião do site.
O Portal Jornada traz as principais notícias da Região Norte, Noroeste, Lagos e Serrana do Rio.